Solaroad

Ciclovias cobertas com placas solares prometem gerar watts para fornecer energia aproveitável na iluminação pública e doméstica.

Conhecida como o país dos moinhos de vento, dos sapatinhos de madeira e das tulipas, a Holanda também é reduto dos apaixonados por um dos meios de transporte mais ecológicos, a bicicleta. Para incentivar o uso da magrela e também reduzir as emissões de carbono, uma cidade holandesa pretende implementar uma ciclovia capaz de gerar energia a partir da luz do sol.

Ainda em fase inicial, o projeto conhecido como SolaRoad foi desenvolvido pela Organização Holandesa de Pesquisa Científica Aplicada (TNO) em parceria com a empresa de tecnologia Imtech, e deverá ser implementado em 2012 na cidade de Krommenie, próximo a Amsterdã (uma das 10 melhores cidades do mundo para se pedalar).

Com 10 quilômetros de extensão, a ciclovia será feita de uma base de concreto com medidas entre 1,5 e 2,5 metros de largura coberta por uma camada de células solares de silício. O sistema gerador será protegido por uma placa de vidro resistente às pedalas dos ciclistas e, segundo os criadores, forte o suficiente para suportar até mesmo o peso de uma caminhão.

A expectativa dos desenvolvedores é que o SolaRoad gere 50kWh por metro quadrado ao longo ano, valor que deve ser suficiente para abastecer a iluminação de ruas próximas à ciclovia e de semáforos. Além disso, a energia excedente pode ser aproveitada para uso doméstico. O site do projeto desataca ainda que o conceito, parte do programa de energia renovável holandês,  poderia ser implantado em toda a rede rodoviária do país, de 137 mil Km.

Anunciado no final de janeiro desse ano, o projeto tem recebido críticas sobre a possibilidade de ciclistas deslizarem na superfície de vidro, particularmente em condições molhadas. Em entrevista ao site sobre ciclismo Road.cc, um porta-voz do TNO disse que o “protótipo atual da superfície do vidro é tratado para criar uma aspereza que dá resistência suficiente para uma utilização segura da estrada, tanto em condições secas quanto em molhadas”.

Anúncios
Esse post foi publicado em Bike, Cidade, Mobilidade, Planejamento Urbano, Tecnologia, Transporte. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s